Operação no Rio Urucuia contou com fiscalização e orientação a pescadores - (Foto: Divulgação/Semad)

Fiscais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) percorreram o Rio Urucuia, na região Noroeste do estado, em operação para orientar pescadores amadores e profissionais sobre a prática da pesca predatória. Realizada entre os dias 5 e 14/8, a ação contou com apoio da Companhia de Polícia Militar de Meio Ambiente.

O serviço de fiscalização é classificado como essencial e foi mantido pelo Governo de Minas durante a pandemia da covid-19, conforme Resolução Conjunta Semad/IEF/Igam/Feam n° 2.959/2020. As ações vêm sendo realizadas com medidas de prevenção ao coronavírus.

Publicidade

Resultados 

Balanço da operação, batizada de Noroeste, indica que foram abordados 66 pescadores amadores, 16 pescadores profissionais e fiscalizados oito ranchos, nos municípios de Unaí, Arinos e Urucuia. Seis autos de fiscalização foram lavrados, com apreensão de 27 redes, 39 anzóis, 10 espinhéis e 33 pindas (varões com linha de 1 a 1,5 metro), além de outros materiais que não estavam em conformidade com a legislação vigente.

São exigidos documentos como a licença para pesca, o registro profissional para pescador, além das cotas de pescado para o pescador amador, o tamanho da captura do pescado e os apetrechos permitidos por categoria.

Diretor de Inteligência e Ações Especiais da Subsecretaria de Fiscalização Ambiental da Semad, Bruno Zuffo, aponta que o movimento de pessoas interessadas em pesca tem crescido neste momento de isolamento social, o que vem acarretando grande pressão sobre os recursos pesqueiros. “Além da pressão da pesca amadora, também existe a pressão da pesca profissional e da pesca irregular, praticadas por pescadores não profissionais, que utilizam petrechos e métodos proibidos para a categoria”, explica.

O subsecretário de Fiscalização Ambiental, Cezar Cruz, explica que as operações de fiscalização com alvo na pesca são planejadas para coibir práticas ilícitas contra o meio ambiente e punir infratores, além de ser uma estratégia do Estado para orientar os pescadores sobre a prática da pesca ilegal.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.