Em Minas Gerais, a saúde está a beira de um colapso devido ao aumento do número de internações de pacientes com covid-19.

Durante o anúncio das medidas restritivas para as regiões do Triângulo Norte e do Noroeste nesta quarta, 03, o governador do Estado, Romeu Zema, disse estar preocupado com a situação está alarmante. Zema afirmou também que o Brasil não tem mais profissionais para serem contratados para atuar na linha de frente contra a doença.

Publicidade

“Mas agora nós chegamos em um ponto no Brasil que não há mais médicos. Inclusive, já fizemos chamamento, mas não há mais profissionais de saúde”, afirmou o governador.

Zema completou que não será possível uma eventual ampliação de leitos em razão da escassez de profissionais.

“Chegamos num ponto em que não há mais médicos disponíveis para atender qualquer ampliação de UTIs (Unidade de Tratamento Intensivo). E quem trabalha na saúde está em momento de exaustão, já que estamos há um ano com esses profissionais trabalhando em sobrecarga”, explicou.

Cerca de 80 cidades nas regiões Noroeste e Triângulo Norte aderiram ao protocolo de restrições.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.